Divã no cotidiano

Contato:

Divã no Cotidiano: saúde e suas dimensões, um diálogo com a filosofia de vida e o bem-viver.

adrianahmoreira.psi@gmail.com

YouTube: Divã no cotidiano

Finalidades:

Aqui você terá a escuta amiga ou profissional, no ambiente terapêutico.  Juntos possamos aprender um com o outro, compartilhar experiências, saberes com o propósito de seguirmos na evolução terrena a caminho do entendimento do "ser, estar" para "ir".  No entanto cada movimento demanda ter um período de repouso. As questões surgem de formas múltiplas, com a diversidade e singularidade humana. Cada um em um tom. E, no meio de tudo isso, desejamos ser ouvidos e falar com alguém, buscando o sentido do viver, numa experiência social. Assim, mesmo únicos queremos somar com os iguais, aprender com o diferente ou nos dividimos em muitas fatias pela falta de sintonia,  ideias,  hábitos (...). Seres ímpares buscando seus pares, um contrassenso gerador de lutas,  dores e também conquistas e amores. Certo ou errado criamos uma forma de viver e querer seguir. A desistência possa ser um momento, por vezes, necessária mas que seja impermanente. Somos impulsionados a respirar e tomar novas decisões e que sejam boas. 

Portfólio

quem sou?
Uma buscadora (...)
(...) do Eu e meus "eus"


Uma breve apresentação:

 Difícil descrever alguém tão intimo, não é mesmo? O espelho pode dirigir a imagem do tempo, mas as mudanças ocorridas dos eus diversos dessa pessoa comum, somam-se em um EU profundo, único e atemporal. Assim, convido seus olhos ante à escrita, para ver com o cuidado do julgamento que surge aos segundos subsequentes à leitura. Calma! Estamos nos conhecendo, não é mesmo?

Na vida profissional iniciaria dizendo que andei por caminhos diversos, desde muito jovem experenciando as veredas do mundo adulto. Criada para ser independente, talvez pela escassez econômica, o gatilho serviu para um crescente aprendizado e gratidão por isso.

Educadora considero ter sido um "eu" relevante, não sendo único. Nessa lida, nem sempre gentil, levou a Adriana a conhecer talentos, descobrir outros. Uma constante descoberta, exercendo o papel social com uma construção intelectual necessária. Eis o grande universo onde mergulhei e achei-me. Não sendo unicamente a bióloga, os títulos acadêmicos conduziram de certa forma como um cajado o sábio. Uma navegante sem limites, assim me considero e livre como o ar sendo improvável saber seu ritmo mediante as diversidades ambientais. Aprendeu a ser com isso menos intempestiva, reativa, domando seus instintos para um nascente de acordes, buscando a meditação ante a fala, o ouvir (...). A fera domável? Creio que longe disso, mas querendo conhecer e sentir mais, porém com calma. 

  • Para os curiosos de plantão, as especificidades profissionais: Bióloga, com pós-graduação Stricto sensu, respectivamente, Biologia e Mestre e Doutora em Ciências;  Especialista em Neurociência (Lato sensu). E, atualmente, estudiosa da psicanálise clinica, trauma e tanatologia.

Sinto-me em um estado de comunhão com a ciência, arte, filosofia e modo de ver a vida. Eis, o titulo do meu site, considerando que posso ir além. Rótulos? Jamais! Somente uma forma de desenhar o que mais me motiva a escrever. 

A linha divisória da vida e a morte sempre foram focos de meus estudos. Aliás, quem somos? Talvez, a pergunta mais curiosa é de onde viemos e para onde vamos? Seja como for, a finitude existencial faz parte do diálogo com a vida, crenças,  experiências, estudos e pesquisas. Porém, nada tem alimentado mais meu interesse do que o MOVIMENTO de sentir  de forma prazerosa o envelhecer.

 Na arte repouso meu coração como um guia oculto e bom. Creio que uma mente criativa vaga por mundos distintos e se cruzam em algum ponto, gerando sua expressão. Por vezes, ela surge com a costura e a arte de confeccionar bonecas e bichos de pano, roupas infantis, ou para compor cores e detalhes decorativos para o lar. Sempre atraída pelo belo, longe do conceito de padrão social! É quase um sentido corpóreo que surge alinhavado com o prazer do viver. Difícil descrever isso! 

  •  Mais informações sobre as produções artesanais: contato.titanana@gmail.com ; @ateliertitanana 

Uma experiência gostaria de adicionar. A arte e ciência se uniram na academia, com curso de extensão/Oficina de Arteterapia. Um projeto que uniu-se ao Programa da terceira idade, presente há mais de 20 anos na Universidade do Estado da Bahia (UNEB, Teixeira de Freitas; UATI-CEVITI). Sempre soube que o mundo sem arte é triste. Como não ver a satisfação à conquista de uma desenvoltura técnica e expressão do que se sente em um papel, no percurso das linhas e tecidos, no movimento corporal, entre outras. A idade não limita saberes e novas construções de conhecimentos. Creio que o sábio nasce de uma jornada de si mesmo, sua relação com a vida e todo aprendizado adquirido, aceito e em constante transformação; já o letrado, nem sempre, será sábio. 

A mente inquieta aprendeu que conversar sobre questões do cotidiano da vida poderia ser um tipo de combustível,  além do intelecto. Manteria ativa a mente criativa,  produtiva e tendo satisfação em compartilhar estudos, produções, das produções literárias,  textos, pensamentos e trechos de meu diário. 

O que pretendo escrever? O que vier, na total liberdade que creio poder exercer, com o ego dirigindo os desejos ao olhar do superego, diria Freud! Mas, como ele mesmo propõem, difícil crer um ser na terra sem seu grau de neurose. Bendito seja esse caos, onde a mente surge para nos ensinar um pouco mais de si. Parece até que estamos falando de um ser dentro de outro, não é mesmo? 

_ Ahhh, esse desconhecido inconsciente! Que possamos aos poucos galgar a revelação de si;  viver melhor com o entorno, sendo mais gratos e capazes de exercer o amor verdadeiro!
O problema, talvez seja na definição de seu conceito humano.
  •   E, caso deseje estarei para "sua escuta" na sala terapêutica.  Só chamar! Agenda para terapia Psicanalítica: adrianahmoreira.psi@gmail.com ou direct Instagram @adrianamoreira.psi

Então vamos lá? 

Um prazer, estou Adriana, com todas as minhas versões de meus "eus". **

**Livro em andamento para publicação (2024)Eu e meus "eus". Fiquem atentos!

 

Então venha comigo! Adriana uma incansável buscadora (...)

REFLEXÃO DE UM APRENDIZ. ESCREVEMOS NOSSA HISTÓRIA, TEMOS QUE APAGÁ-LA DE CERTA FORMA, PARA RENASCER SOMENTE COM A PÉROLA LAPIDADA DO EU DIVINO NÃO HUMANO. Assim, se um dia Filha, irmã, esposa, mãe, amiga foi para aprender conceituar o humano e transpor seu conceito, quanto a origem primordial divina. Renasceremos sem face e desejosos do amor imperecível. AHMoreira